No dia 28 de fevereiro de 2015, foi realizada a oficina “Arte e possibilidades de expressão no cotidiano”, com a participação dos especialistas: José Bueno, Arquiteto e Urbanista de formação, criador do Instituto Harmonia, Educação e Sustentabilidade. Atua há 20 anos como educador e compõe a equipe de facilitadores do Arteria; e Cecília Zanotti, Diretora executiva da Artéria e facilitadora, é administradora de empresas formada pela EAESP – FGV.  Há 15 anos desenvolve experiências focadas em educação.

Segundo os especialistas, criatividade é a capacidade de imaginar e criar o que não existe. Todas as pessoas são criativas, no entanto, desde muito cedo vão tolhendo essa criatividade, criando camadas que as impedem de se expressar: por medo do ridículo ou por acreditar que atividades artísticas são somente para artistas.

O grupo iniciou com a produção de crachás criativos. Em seguida, foram realizadas atividades e dinâmicas de “aquecimento” e integração do grupo, tais como: roda rítmica de apresentação, estabelecimento de empatia e vínculo, entre outras. O grupo foi convidado a se expressar através de diferentes linguagem – de exercícios corporais, rítmicos, desenho e escrita.

Tudo aconteceu em um ambiente leve e divertido, sendo este um dos principais objetivos do dia: se divertir! De acordo com José Bueno, cientificamente, um clima alegre, leve e prazeroso produz endorfinas, que favorecem a aprendizagem. Ao contrário, um clima tenso e ameaçador produz adrenalina, que dificulta qualquer processo de interação e produção de conhecimento.

Reflexões e referências acerca da importância destes fenômenos no contexto do acolhimento foram trazidas ao longo do encontro, no qual ficaram evidenciados aspectos importantes como a disponibilidade física e emocional dos educadores para com as crianças e adolescentes para o desenvolvimento de vínculos e empatia. A replicação das atividades artísticas no cotidiano foi vista como essencial, para favorecer a expressão e empoderamento das crianças e adolescentes.

O grupo pôde compartilhar sensações, sentimentos, emoções oriundas de experiências individuais quanto coletivas, que pudessem descrever como cada participante percebia sua relação com a criatividade.

Para assistir aos melhores momentos da Oficina, acesse:

https://www.youtube.com/watch?v=GKJipNq_t4c&list=PLnXe9VZ1ye9x3yov5FfTN3igaovkYb8ym