fazendo minha história

Toda história merece ser contada por quem a viveu, por quem a vive. A oportunidade de olhar para a própria história e perceber as dores e amores escondidos nas entrelinhas é preciosa. No FMH, colaboradores voluntários acompanham individualmente cada participante, ajudando-o a se expressar e construir uma narrativa de sua história. saiba +

 

grupo nós

Ter 18 anos é ser adulto pela lei, mas sabemos que ainda há muito a ser conquistado nessa idade. No caso de quem precisou de acolhimento e não tem o suporte de uma família, construir estratégias que garantam apoio na transição para a vida adulta se faz ainda mais necessário. A descoberta de um propósito na vida, busca por uma moradia e desenvolvimento profissional são objetivos dos jovens que acompanhamos.

Apostamos e investimos juntos num projeto de vida potente e autêntico. saiba +

 

apadrinhamento afetivo

Propicia, de forma individualizada, convivência familiar e comunitária para crianças e adolescentes que estão em instituições. Os padrinhos e madrinhas acompanha de perto as conquistas do dia-a-dia, as datas festivas, as dificuldades escolares ou afetivas, a conquista de autonomia. Permeadas por afeto e carinho verdadeiros, as relações são de longo prazo e os resultados, de prazo maior ainda: para a vida toda! saiba +

 

formação

Educadores, gestores, técnicos: todos os profissionais que lidam com a complexidade de uma criança ou adolescente que precisou ser separado de sua família de origem precisam de espaços de reflexão e aprimoramento da sua prática. saiba +

 

com tato

O sofrimento causado por situações difíceis na infância e adolescência pode demandar uma atenção especial, um trabalho profissional e profundo de cuidado e elaboração das histórias. Nesses casos, o Com Tato oferece psicoterapia como caminho para a saúde, para a vida seguir em frente, cheia de possibilidades. saiba +

 

famílias acolhedoras

Quando damos voz aos bebês, descobrimos que eles têm muito a dizer. Por isso, investimos, em nome deles, na campanha para que nenhum bebê seja institucionalizado. Caso precisem de acolhimento, que seja em Famílias Acolhedoras. saiba +

 

Acolhimento em Rede

São mais de 1500 profissionais de diferentes regiões do país que se beneficiam dessa iniciativa: uma rede que conecta profissionais ligados ao acolhimento para compartilhar oportunidades, dúvidas e reflexões sobre a prática. saiba +