COMO PARTICIPAR

 

O maior recurso desse projeto são as pessoas que colaboram com ele, sem dúvida alguma.

Para se tornar voluntário, é necessário participar de 3 encontros de formação inicial nos quais são apresentados detalhes do contexto do acolhimento, da metodologia e os compromissos que o voluntário assume. Depois deste processo, serão selecionadas pessoas com perfil para desenvolvimento deste trabalho. 

O compromisso é, sobretudo, com as crianças e adolescentes que possuem ao menos uma coisa em comum: viveram uma ruptura muito importante ao serem afastados de suas famílias. Por isso merecem e precisam ser tratados com todo respeito e cuidado. O vínculo que será iniciado com o voluntário deverá ser uma boa experiência, sem qualquer repetição de ruptura ou abandono. 

O trabalho dura no mínimo um ano e é necessária dedicação de 3 a 4 horas por semana, levando em conta tempo de planejamento, registro do encontro, deslocamento, permanência no serviço de acolhimento e supervisão do trabalho. Cada voluntário trabalha com duas crianças ou adolescentes, uma hora com cada. 

NO MOMENTO, NÃO TEMOS PREVISÃO DE NOVA FORMAÇÃO INICIAL PARA VOLUNTÁRIOS.

 

Serviços de acolhimento

Para desenvolver a metodologia, o serviço de acolhimento deve ter interesse em realizar um trabalho com histórias de vida, tendo abertura e disponibilidade para refletir e conversar sobre as trajetórias das crianças e adolescentes tanto com elas mesmas, quanto com educadores e voluntários que atuam no projeto. 

Caso tenha interesse, entre em contato para uma conversa inicial


SAIBA mais SOBRE O FAZENDO MINHA HISTÓRIA