Você sabia que a entrega de uma criança que acaba de nascer - por uma mãe que não pode cuidar dela - não é crime? Entregar não é abandonar! Se informe mais lendo a publicação 'Política de atenção a gestante', realizada pelo tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e pela Coordenadoria da Infância e Juventude. 

A PUBLICAÇÃO

Cada vez com maior frequência sabe-se de bebês que foram deixados na rua, encontrados no lixo, no meio fio, no terreno baldio, ou ainda, de mulheres que se evadiram do hospital, deixando a criança. Esses casos ganham maior expressão quando são descobertos pela mídia.

Para viabilizar proposta de intervenção junto a essa realidade, constituiu-se uma comissão interinstitucional formada pela Coordenadoria da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo, Secretaria Estadual da Saúde, Secretaria Estadual do Desenvolvimento
Social e Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo. A comissão discutiu a necessidade de criar parâmetros de atendimento e fluxos interinstitucionais e intersetoriais para melhor
atender a essas mulheres.

Um dos resultados é esta cartilha que você pode ler clicando AQUI